::Psicologia de um vencido::

“Sou uma Sombra! Venho de outras eras,
Do cosmopolitismo das moneras…
Pólipo de recônditas reentrâncias,
Larva de caos telúrico, procedo
Da escuridão do cósmico segredo,
Da substância de todas as substâncias!”

(Augusto dos Anjos – Monólogo de uma sombra)


Devaneios e pesadelos. Crises de tristeza e autopiedade. Euforia, empáfia e a certeza de não há um alicerce ou um centro que justifique ou suporte essa ou aquela vontade e tudo é passageiro. Mas a parte que dói mais não é a do problema psicológico que pode ser vencido através de reflexão, atitude e talvez alguns remédios. A parte que dói mais é querer existir e não ser, nunca. É saber que as regras do mundo são rígidas, que as pessoas do mundo são todas uma só e que estão (está) de acordo com as regras.
Há um claro retorno ao pensamento de alguns anos, às certezas de alguns anos atrás. Porque a vida é cíclica e a realidade é o que é e não pode ser alterada, só reinterpretada.

“Chamo-me Aberração. Minha alma é um misto
De anomalias lúgubres. Existo
Como a cancro, a exigir que os sãos enfermem…”

(Augusto dos anjos – Aberração)